Hino da Monarquia Portuguesa

Loading...

Restauração da Independência

Loading...

Sunday, 8 November 2009

Cientista portuguesa descobre transístorde papel e electrónica transparente



Elvira Fortunato, cientista portuguesa de micro-electrónica, e a sua equipa de investigadores do Centro de Investigação de Materiais (Cenimat) – da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) da Universidade Nova de Lisboa– desenvolveram, pela primeira vez em todo o mundo, um dispositivo electrónico, à escala nanométrica, integrado numa camada de papel. O invento, a que chamaram "transístor de papel", valeu-lhes prémios, atestados de sucesso de laboratórios de referência em todo o mundo e um louvor por unanimidade na Assembleia da República.Muitas poderão ser as aplicações desta invenção, como o desenvolvimento de papel "inteligente", aplicações médicas, chips de identificação e até ecrãs de papel. "O transístor é a unidade de base para fazer qualquer cosia", explica Elvira Fortunato.Uma outra experiência bem sucedida do grupo aconteceu com um vidro transparente. Através de um LED (uma lâmpada electrónica), instalado numa superfície de vidro, foi possível acender novamente uma luz com recurso a uma bateria, sem fios ou interruptor."Podemos falar de electrónica transparente, os vidros estão cheios de circuitos integrados e não os vemos", segundo a investigadora. É o primeiro passo para criar janelas com imagens que podem mudar sucessivamente, mas que continuam a ser janelas, isto é, a deixar passar a luz.Trata-se de uma "electrónica reciclável" (pois o mesmo material usado numa folha de papel pode ser novamente usado numa outra folha), mais barata e mais “amiga” do ambiente, rivalizando com as mais avançadas tecnologias actuais.




Em No Feminino no Negócios,

No comments:

Post a Comment