Hino da Monarquia Portuguesa

Loading...

Restauração da Independência

Loading...

Wednesday, 28 October 2009

O elogio
aos Monárquicos convictos



e Carlos Canelas, entendemos lançar juntos, uma Petição aqui no Facebook. “ Real Presença de D. Duarte e seu filho D. Afonso, no jogo da Selecção Nacional, no dia 14 de Novembro, no estádio da Luz”Pensávamos que todos os monárquicos corresponderiam com naturalidade e com entusiasmo a esta Petição, que pela sua lógica, deveria ir de encontro à vontade de todos.Pensávamos que estávamos a dar um contributo positivo.Foi porém espantosa e surpreendente a reacção de muitos monárquicos sobretudo de alguns que ocupam posições de relevo e de responsabilidade.Surgiu então uma verdadeira campanha, na tentativa de travar a adesão monárquica a esta iniciativa.Os argumentos eram lamentáveis… e sobretudo ridículos.Não podemos assistir a um jogo de uma selecção que se veste de verde e encarnadoA selecção é republicanaO futebol é o ópio do povo, uma forma de alienação e D. Duarte não pode patrocinar isso.É uma inconsciência colocar a segurança de D. Duarte em risco.Os monárquicos ainda não perceberam, em particular os que assumem papeis de relevo e de responsabilidade, que ao transmitir publicamente esta imagem, estão a transmiti-la também para D. Duarte de quem se dizem apoiantes e também a colocar-nos a todos nós no mesmo cesto podre.Não perceberam que há um ditado popular, que ninguém contesta, porque existe essa Sabedoria impar no povo português…” Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és “Por isso muitos não aderem porque têm uma outra mentalidade, uma outra postura de compreensão da sociedade moderna, uma outra capacidade de compreensão para com o Povo português e para com as suas ansiedades e problemas.O futebol não é hoje o ópio do Povo, é uma das poucas alternativas de motivação e de expressão da paixão. A Selecção Portuguesa é a de todos nós portugueses e foi a mais recente motivação para a expressão do sentimento patriótico português.A bandeira verde e encarnada, é muito mais que um símbolo da República, e as minhas preferências estéticas ou de simbolismo, não podem levar a que eu me esqueça que há milhões de portugueses, que sob ela e a ela, juraram fidelidade e que há muitos que por ela morreram. Se queremos que respeitem os nossos simbolismos, teremos de respeitar sempre outros que ultrapassam em muito o mero Regime actual. Tentei compreender a razão pela qual as páginas monárquicas do facebook não aderiram á iniciativa…sempre a mesma postura… a ideia não foi nossa, portanto quem a teve que a divulgue e apoie. Um erro de atitude, muito típico, que por isso mesmo, não levo a mal, apenas lamento. Uma consequência de uma mentalidade que rejeito, porque não me identifico com ela, mas que sobre a qual nada posso fazer.Cheguei a ser acusado de inconsciente por uma Organização. Que Organização mais inconsciente e inconsistente…Enquanto a generosidade de cada um de nós e de todas as Organizações Monárquicas, não for a regra, nunca haverá a Unidade e muito menos a generalizada motivação.Tive toda uma trabalheira a responder em público, através de comentários e por mails a toda esta lamentável campanha de desmobilização. Não me interessa saber, muito menos acusar, se ela foi orquestrada por algum grupo, por alguma organização. Existiu e foi muito triste assistir à sua expressão pública. Um exemplo da mediocridade e de outras adjectivações de que nem sequer quero exprimir.Nesta tentativa de resposta acabei por deparar com um testemunho público de elevado significado patriótico e monárquico.Hélio Loureiro, fazia este sublime comentário…Sou Chefe de Cozinha da Selecção Portuguesa de Futebol á 12 anos. Eu como o meu querido colega que sempre me acompanha com a selecção, somos e seremos Monárquicos, existem muitos e bons monárquicos dentro da equipe das Quinas e não é a cor da bandeira que nos faz correr, mas antes o símbolo que no meio está e que são as armas da sereníssima Casa de Bragança e de que, D. Duarte é o legítimo Chefe.Com muita amizade e viva a Selecção Portuguesa de Futebol, viva o ReiFoi então que recebi um telefonema de José Tomaz Melo Breyner. Ele tinha tido a consciência, como nobre monárquico que é, do que estava em causa e informara D. Duarte sobre a Petição, que pretendia a sua presença. D. Duarte de imediato achou excelente a ideia e manifestou logo toda a disponibilidade e interesse em estar presente.


Obrigado José Tomaz. Obrigado pela atitude e pelo exemplo.

José Andrade

1 comment:

  1. Meu caro,

    A sua ideia também me pareceu excelente e acho que a causa monárquica precisa de mais visibilidade e sobretudo de se aproximar das pessoas. O Rei é o representante da Nação e o seu servidor número 1.

    É óbvio que nem todos pensamos da mesma maneira, portanto o importante é persistir naquilo em que acreditamos.

    Cumprimentos,
    Olindo

    ReplyDelete